quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Surreal

Certa manhã de vagar friorento, estava eu sentada no metro a meditar na morte da bezerra e sem ver um boi à minha frente, quando os meus inadvertidos olhos intrigaram. Era uma onda ou seria um bocadinho de mar ali à mão. Dois metros  à minha  frente, se tanto. Firmei a vista. Incrível, estava uma sereia no metro. Era uma sereia a sério, mas sem rabo de peixe ou escamas. Seguia em animada conversa e dava-me as costas. O relâmpago de novidade que me preenchera a retina era um extenso cabelo de Menina do Mar ondulando até perto da cintura, num arredondado brilhante de tons verde pálido com reflexos azuis.  Aquele ser extraordinário virava-se  ao rapaz da casa branca nas dunas, e quem sabe se combinavam o passeio em que ela foge do fundo do mar para ver as vinhas e os fósforos e outros desconhecidos encantos da terra. Bom, não que o jovem tivesse identificação visível, mas sou fiel à autora e ele tinha todo o ar de quem escuta tempestades e ventos marítimos. Mais, sendo a garota quem era, só podia ser ele. Amiudadas vezes as mãos dela subiam em movimento de alga e ocupavam-se a afastar o cabelo do rosto. E logo ele verdejava sem destino e despedia reflexos azulados dorso abaixo. Que todos ignoravam. Como não enxergavam a mansidão de onda preguiçosa a desmanchar e que bulia a cada movimento de cabeça. Desvaneci assolada de verão, corpo na areia, um murmúrio de ondas à conversa. Admito, talvez tenha fechado os olhos.

Quando regressei, o rapaz eclipsara e ela estava na minha frente. Não um perfil delicado. Frontal.  Linda e exótica. Tão linda como qualquer sereia de cabelo verde, um ganchinho no lugar dos búzios, olhos perdidos. 
Aposto que sonhava com os fósforos e o sabor das uvas que desconhecia.  

12 comentários:

  1. Bea e foi preciso estar predisposta para captar tão belos instantes!!! bj

    ResponderEliminar
  2. Oh, não. Eu ia mesmo era distraída. Obrigada.

    ResponderEliminar
  3. Ia distraída?! Nem sei como seria se não estivesse... ; ))
    Bjos : )

    ResponderEliminar
  4. Escrevia de outra forma. Ou nem escrevia. O olhar de surpresa e primeira vez importa:).

    ResponderEliminar
  5. Bom dia. Deliciosa imaginação.
    .
    O Amor escrito e descrito em três sextilhas.
    .
    *Nós dois ... um só coração *
    .
    Votos de um dia feliz

    ResponderEliminar
  6. O metropolitano é um lugar frequentado por seres que, frequentemente, nos surpreendem. Que beleza, esta descrição, bea!

    ResponderEliminar
  7. Bela crônica, com figuras se linguagens maravilhosas. Parabéns! Bom Carnaval com a sereia e o príncipe de sonhos. Grande abraço. Laerte.

    ResponderEliminar